Meu trabalho já é "do futuro"​, e o seu?

Por Priscila Gonsales

Estudo 100 Jobs of the Future traz algumas pistas sobre quais são as aprendizagens relevantes para a convivência humana desde sempre.


Viramos, então, o ano de 2020 e com ele mais uma década vai chegando ao fim. Aquele futuro imaginado, tomado pelos avanços avassaladores da tecnologia digital e da inteligência artificial está cada vez mais se concretizando.

Muita coisa vai mudar, especialmente no campo do trabalho. De certa forma, é natural imaginar que poderemos exercer diferentes funções ou ter várias carreiras ao longo da vida, mas ainda não temos nenhuma certeza sobre quais serão os tipos de ocupações que efetivamente surgirão e que vão demandar uma formação nova ou específica.

No entanto, o estudo 100 Jobs of the Future, lançado no segundo semestre de 2019, nos traz algumas pistas. De autoria de duas universidades australianas, Deakin e Griffith, em parceria com a Ford Go Further, o estudo parte do pressuposto de que, no futuro, teremos pessoas e máquinas colaborando efetivamente para fazer o que nenhuma delas poderia fazer sozinha. Bem interessante, não?

A lista das 100 ocupações do futuro foram organizadas em 10 categorias e logo atrás da categoria “Trabalho com Tecnologias”, campeã com 21 possibilidades, vem “Trabalho com Pessoas”, com 14 possibilidades indicadas — mas em várias das demais categorias dá pra ver o quanto o foco em pessoas estará em evidência. Aha!


Se por um lado já podemos supor que o trabalho do futuro exigirá aptidões científicas, tecnológicas e digitais, por outro, valorizamos pouco as habilidades relacionadas ao autoconhecimento e à convivência humana que serão altamente necessárias, quase como um alicerce para o bom desempenho profissional e pessoal.

O ano de 2020 também marca 10 anos de existência do Educadigital, organização social e think tank que fundei para atuar com educação, tecnologias e direitos digitais. É gratificante notar que, mesmo depois de uma década, nosso foco de trabalho centrado nas pessoas (seja de forma “plugada ou desplugada”), continua sendo o que mais se espera no futuro! Confira algumas das ocupações do estudo que destaquei aqui, algumas delas já estamos "semeando":

Educador em Inteligência Artificial
Negociador de Propriedade Intelectual
Guia de experiência analógica
Gestor de expansão digital
Facilitador transcultural
Estrategista de privacidade de dados
Apoiadores para tomada de decisão
Hackers éticos
Conselheiro de educação ao longo da vida
Programador de robôs para crianças
Professor da primeira infância
Designer de gamificação
Organizador de desordem virtual

Leia o artigo completo em: 16/01/2020 - https://www.linkedin.com/pulse/meu-trabalho-j%25C3%25A1-%25C3%25A9-do-futuro-e-o-seu-priscila-gonsales/?trackingId=W23eqpQv9flxTVbjY%2Br0pw%3D%3D

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“Educar ya no significa transmitir y memorizar información”