Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2020

Cursos online e gratuitos para combater a desinformação

Dicas para professores em ano eleitora. Vamos trabalhar com educação midiática? Segue uma lista de cursos online gratuitos para trabalhar a desinformação desde a educação básica.  Educação midiática na BNCC (Instituto Palavra Aberta, aberto até o dia 28 de fevereiro)  https://educamidia.org.br/ Vaza Falsiane (pelo login do Face) https://vazafalsiane.com/ Portal: Quem controla a mídia no Brasil? (Intervozes e Repórteres sem Fronteiras) https://brazil.mom-rsf.org/br/ Planos de aula: Educom.JT, sempre atual (NCE-USP e Grupo O Estado de SP). http://www.usp.br/nce/educomjt/paginas/index.htm Planos de aula: Estadão na escola: https://educacao.estadao.com.br/blogs/estadao-na-escola/2019/10/15/estado-lanca-projeto-que-reune-planos-de-aulas-para-professores/?fbclid=IwAR0JXByRkPzNmHXw1fgOKssBXEtXmI4wGR-XqCbNatEbSknhKzDyOUx_okw https://educacao.estadao.com.br/blogs/estadao-na-escola/2019/12/19/analise-sobre-a-cop-traz-discussoes-sobre-generos-jornalisticos-e-fact-checking/?fbc

Jornalismo, fake news & desinformação: manual para educação e treinamento em jornalismo

Imagem
Unesco lança livro sobre jornalismo, fake news e desinformação. A publicação pode ser acessada gratuitamente pelo link:  https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000368647?fbclid=IwAR14EqTCXdGhuw31WveaXmNtxKlQYRMRc_m2eouGc7hU0RW5ieHWLRz2GNs PREFÁCIO: A UNESCO trabalha para fortalecer o ensino de jornalismo e esta publicação é a mais recente contribuição para seu conjunto de conhecimento de ponta. É parte da “Iniciativa Global pela Excelência na Educação em Jornalismo”, que é foco do Programa Internacional para o Desenvolvimento da Comunicação (PIDC) da UNESCO. A iniciativa procura envolver-se com o ensino, a prática e a pesquisa do jornalismo de acordo  com o panorama global, incluindo o compartilhamento de boas práticas internacionais. Consequentemente, o presente manual procura servir como exemplo de currículo internacionalmente relevante, aberto à adesão ou adaptação, como resposta ao problema decorrente da desinformação global que confronta as sociedades em geral, e

Pré-conferência da ECREA, seção "Children, Youth and Media", com chamada de trabalhos aberta

Imagem
Está aberta uma chamada de trabalhos até 17 de Abril para submissão de resumos para a Pré-conferência seção ECREA: "Children, Youth and Media" que acontecerá no dia 2 de Outubro em Braga, Portugal.  A notificação dos autores e autoras será feita até o dia 15 de Maio e a inscrição dos trabalhos aprovados deve ser feita até 2 de Setembro. Participantes são incentivados a discutir suas pesquisas e tópicos em pequenos grupos em um workshop dirigido por um(a) Pesquisador(a) Sênior. Portanto, devem enviar um resumo de 250 palavras sobre um dos dois temas a seguir, distribuídos em duas sessões: Sessão 1. Ética na pesquisa com crianças Sessão 2. Ética e direitos digitais das crianças Os resumos devem ser enviados até 17 de abril de 2020 para o seguinte e-mail: cym.ecrea2020@gmail.com Haverá uma pequena taxa: 35 € para não membros da ECREA 30 € para membros da ECREA 15 € para doutorandos. Programa Provisório: 2 de outubro de 2020 (sexta-feira) 9h15 Registro 9h30

FDR oferece curso gratuito e a distância em Formação de Mediadores de Educação para Patrimônio

Imagem
Mais um curso gratuito da Fundação Demócrito Rocha (FDR) com inscrições abertas! Conheça o curso de extensão "FORMAÇÃO DE MEDIADORES DE EDUCAÇÃO PARA PATRIMÔNIO", completamente a distância, com 160h e cocertificado pela Universidade Federal do Ceará.  O curso, em 12 módulos, é uma parceria da Fundação Demócrito Rocha com a Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza (SecultFOR) e tem início no dia 10 de Fevereiro, com o encarte do primeiro fascículo pelo jornal O POVO, de Fortaleza (CE).  Saiba mais em: cursos.fdr.org.br

Redes sociais na internet: sociabilidades emergentes

Imagem
O livro "REDES SOCIAIS NA INTERNET: SOCIABILIDADES EMERGENTES" é resultado da tese de Doutorado da pesquisadora portuguesa Inês Amaral, sob orientação da professora Helena Sousa (Universidade do Minho). Ele encontra-se disponível de forma gratuita on-line no seguinte link:  h ttp://www.labcom-ifp.ubi.pt/livro/286?fbclid=IwAR0K1lx_f5cqNV_B-j-_6mP2knZHUEAhcvPpUJsoT7J_hL_MXGuCD2kLewg Sinopse A presente investigação pretende analisar se da apropriação de ferramentas de interação mediada por computador, através de técnicas de indexação semântica, emergem novas modalidades de sociabilidade e se efetivam novas  práticas e relações sociais que representam um termómetro desterritorializado da sociedade. O argumento central deste livro é o de que o conteúdo é o novo laço relacional das redes sociais assimétricas, transformando estas estruturas em mapas de mediações e interações sociais delineadas pela utilização da técnica. Os resultados globais da investigação permitem afirma

How Finland starts its fight against fake news in primary schools

Imagem
Country on frontline of information war teaches everyone from school pupils to politicians how to spot slippery information Jon Henley in Helsinki -  @jonhenley ( Wed, 29 Jan 2020)  You can start when children are very young, said Kari Kivinen. In fact, you should: “Fairytales work well. Take the wily fox who always cheats the other animals with his sly words. That’s not a bad metaphor for a certain kind of politician, is it?” With democracies around the world threatened by the seemingly unstoppable onslaught of false information, Finland – recently rated Europe’s most resistant nation to fake news – takes the fight seriously enough to teach it in primary school. In secondary schools, such as the state-run college in Helsinki where Kivinen is head teacher, multi-platform information literacy and strong critical thinking have become a core, cross-subject component of a national curriculum that was introduced in 2016. In maths lessons, Kivinen’s pupils learn how easy it is

Live vai discutir educação midiática

Imagem
Na terça, 21/01, temos um encontro marcado numa live. Às 18h30, horário de Brasília e 21h30, horário de Portugal conversaremos com  Tito de Morais , do Projecto Miúdos Seguros na Net sobre educação midiática! Vem conversar com a gente!!! A ideia da sessão é relembrar a importância e a urgência da educação mediática no atual contexto, especialmente levando-se em consideração as eleições municipais no Brasil e as presidenciais nos EUA, entre outros pleitos pelo mundo. Além disso, este ano as escolas brasileiras começam a implementar a nova Base Nacional Comum Curricular*, que traz a educação mediática em seu escopo e valoriza novas linguagens e géneros textuais. (*Documento oficial criado pelo Ministério da Educação (MEC). Define o conjunto progressivo de aprendizagens que os alunos devem desenvolver durante sua escolaridade. É dividido em 3 etapas: Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio). Convidada: Cristiane Parente, Jornalista Jornalista, professora, consultora em pro

Laboratorio Emilia de Formación promove MOOCs sobre leitores, leituras e primeira infância

Imagem
Laboratorio Emilia de Formación promove a partir de Janeiro de 2020 cursos online e gratuitos em formato MOOC. Veja a seguir as informações: 1 - Lectores mutantes - 2ª edición Libros, ficciones y otras textualidades para formar jóvenes lectores De 21 de Janeiro a 02 de Março de 2020 Dirigido a docentes, bibliotecarios, formadores, padres y madres, animadores socio-culturales, miembros de asociaciones vecinales, dinamizadores de proyectos locales, libreros, editores y otros profesionales interesados en la lectura entre los jóvenes.                                            2 - Arte, palabra y lectura en la primera infância - 3ª edición De 27 de Janeiro a 09 de Março de 2020 Matrículas no site: https://laboratorioemilia.com/

Formação online e gratuita "Bullying e Ciberbullying: Prevenir & Agir

Imagem
A Direção-Geral da Educação (de Portugal) promove o curso de formação online "Bullying e Ciberbullying: Prevenir & Agir (II)", em formato MOOC (Massive Open Online Course). O curso, ministrado em língua portuguesa, é gratuito. T eve início no dia 14 de Janeiro de 2020 e finaliza em 23 de Fevereiro de 2020, correspondendo a um trabalho global de cerca de 3 horas semanais. Enquadra-se nas propostas de formação do plano nacional "Escola Sem Bullying. Escola Sem Violência", destina-se a professores, educadores, pais/encarregados de educação, psicólogos, forças de segurança, outros profissionais que desempenhem funções em contextos educativos e a todos os interessados nesta temática. Objetivos O objetivo principal deste MOOC é sensibilizar os participantes para a problemática do Bullying e do Ciberbullying, através de conhecimentos teóricos e competências práticas que lhes permitam identificar, prevenir, e intervir face ao Bullying e Ciberbullying. De um

Meu trabalho já é "do futuro"​, e o seu?

Imagem
Por Priscila Gonsales Estudo 100 Jobs of the Future traz algumas pistas sobre quais são as aprendizagens relevantes para a convivência humana desde sempre. Viramos, então, o ano de 2020 e com ele mais uma década vai chegando ao fim. Aquele futuro imaginado, tomado pelos avanços avassaladores da tecnologia digital e da inteligência artificial está cada vez mais se concretizando. Muita coisa vai mudar, especialmente no campo do trabalho. De certa forma, é natural imaginar que poderemos exercer diferentes funções ou ter várias carreiras ao longo da vida, mas ainda não temos nenhuma certeza sobre quais serão os tipos de ocupações que efetivamente surgirão e que vão demandar uma formação nova ou específica. No entanto, o estudo 100 Jobs of the Future, lançado no segundo semestre de 2019, nos traz algumas pistas. De autoria de duas universidades australianas, Deakin e Griffith, em parceria com a Ford Go Further, o estudo parte do pressuposto de que, no futuro, teremos pessoas e má

Ensino do jornalismo como defesa da democracia é tema do do 19º ENPJ – Encontro Nacional de Professores de Jornalismo

Imagem
Entre 6 e 8 de abril acontece o 19º Encontro Nacional de Professores de Jornalismo, promovido pela Abej (Associação Brasileira de Ensino de Jornalismo). O tema será “O ensino do jornalismo como instrumento de defesa para uma sociedade democrática” e o encontro acontece  na ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing e na ECA – Escola de Comunicações a Artes da Universidade São Paulo. Diversos eventos compõem a programação do 19º ENPJ, a saber: 15º Pré-Fórum da Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ); 10º Encontro Nacional de Coordenadores de Curso de Jornalismo; 15º Ciclo Nacional de Pesquisas em Ensino e Extensão em Jornalismo. Além deles, estão previstas atividades como lançamentos de livros, painéis de debates, e programação cultural. Os ingressos para professores e demais profissionais custam R$ 170, para estudantes de pós-graduação, R$ 80 e, para estudantes de graduação, R$ 30. A programação e as inscrições podem ser feitas no  site . Inscrições: h ttp://www.fn

“A desinformação passou a ser usada como estratégia política”

Notícias falsas existem desde o início da humanidade, mas tiveram um impulso astronômico com o aumento da capacidade de ampliação do discurso diante do surgimento das redes sociais. O termo “fake news” passou a integrar o vocabulário de diversas sociedades e a desinformação impacta diretamente a vida política, empresarial e social do país. É neste cenário que o jornalismo busca uma reinvenção. Fundada em 2015, a  Agência Lupa  é a primeira do Brasil a se especializar em fact checking, ou seja, a checagem de fatos. Em entrevista ao Imil, Gilberto Scofield, atual diretor de Estratégias e Negócios da Lupa, contou um pouco sobre o trabalho de combate às notícias falsas no país. Ouça neste link:  https://exame.abril.com.br/blog/instituto-millenium/a-desinformacao-passou-a-ser-usada-como-estrategia-politica/ Diariamente, a equipe da Agência Lupa acompanha o noticiário em busca de informações imprecisas. Elas são checadas com base em banco de dados oficiais e verificáveis, sejam eles p

MS em Pesquisa: Educomunicação leva protagonismo e cidadania

Imagem
Área que vem ganhando corpo nos últimos anos, a Educomunicação é o tema da atual edição do MS em Pesquisa, disponível na programação da TV Assembleia. Thiago Frison entrevistou a pesquisadora Me. Naiane Gomes de Mesquita, que falou dessa prática que une ferramentas de comunicação com o ensino. Segundo a pesquisadora, a “Educomunicação estuda não só a relação entre a educação e a comunicação, mas busca, principalmente, por meio de iniciativas oportunizar que crianças e adolescentes possam exercer o protagonismo e a cidadania, por meio da função comunicativa, que é um direito universal”.  Ela investigou práticas de Educomunicação no estado, fazendo análises de um projeto encabeçado pelo Ministério da Educação chamado “Educom Rádio”, nos anos 2000. Vinte escolas de Mato Grosso do Sul foram escolhidas, quase a metade em Campo Grande. Durante o MS em Pesquisa, ela aponta suas considerações quanto a contribuição desse projeto para essas escolas.  O MS em Pesquisa é exibido

O guia contra mentiras

Imagem
Best-seller internacional, o livro "O Guia Contra Mentiras - Como pensar criticamente na era da pós-verdade" traz lições fundamentais sobre pensamento crítico que precisamos aprender e compartilhar o quanto antes.  Apresentação do livro: Fatos e números sobre absolutamente tudo estão ao nosso alcance, mas são muitas vezes tendenciosos, distorcidos ou mentirosos. Dos números do desemprego às urnas de votação, dos testes de QI às taxas de divórcio, somos bombardeados por estatísticas aparentemente plausíveis sobre como as pessoas vivem e o que pensam. Neste livro, o renomado neurocientista Daniel Levitin nos ensina a questionar: podemos realmente saber disso? E como eles sabem disso? Neste guia acessível e revelador, repleto de exemplos fascinantes e dicas práticas, Daniel Levitin nos mostra que compreender as estatísticas nos permitirá julgar de forma mais inteligente o mundo ao nosso redor. (Fonte: Companhia das Letras) Compartilhamos abaixo alguns trechos da introduç

Conheça as iniciativas do TSE para enfrentar o fenômeno da desinformação

Imagem
Durante o ano de 2019 e já de olhos nas eleições municipais de 2020 o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) promoveu iniciativas com o objetivo de  enfrentar a desinformação disseminada acerca do processo eleitoral e da Justiça Eleitoral e que teve seu ápice nas eleições de 2018. Para o juiz auxiliar da Presidência da Corte, Ricardo Fioreze, coordenador do grupo gestor do Programa de Enfrentamento à Desinformação com Foco nas Eleições 2020, a atuação preventiva capacita a Justiça Eleitoral para conter a desinformação de forma mais efetiva. Ele defende o trabalho em parceria para que se possa executar ações conjuntas e tentar minimizar os efeitos do fenômenoda desinformação, que al cança várias camadas e setores da sociedade. “A atuação preventiva também garante maior tempo para a execução de ações voltadas a conscientizar a população, em especial, os eleitores, sobre a desinformação e seu significado, bem como sobre os riscos e os prejuízos que ela pode causar tanto para o cidadão c

O jogo da neutralidade vs. objetividade com jornalistas negros chega ao fim

Por Tonya Mosley -  Nieman Lab Em 2020, as organizações de notícias deixarão de jogar o jogo da neutralidade x objetividade com jornalistas negros. Ok, essa é uma declaração ambiciosa –mas temos que começar em algum lugar, certo? Confie em mim –todas os negros em sua redação têm uma história sobre como 1 gerente questionou seu julgamento de notícias, sua dicção ou perguntou se poderiam ser neutros ou objetivos. Lembro-me do dia em que um antigo chefe questionou em voz alta se eu seria capaz de cobrir objetivamente uma história sobre o assassinato de um homem negro pela polícia. Isso foi em 2007, antes do assassinato de Tamir Rice e Philando Castile. Antes das mais recentes discussões e debates em todo o país sobre os assassinatos desproporcionais de negros e pardos nas mãos da polícia. Essa chefe de notícias em particular se perguntou sobre minha capacidade de objetividade porque sou negra, e ela tinha uma ideia comum e equivocada de que eu não podia ser neutra ou objetiva porq

Censura está na moda

Por Vera Magalhães (Estado de S.Paulo - 12/01/20120) E logo na segunda semana da nova década, o Brasil voltou algumas para trás. Nos vimos de novo diante de uma discussão que parecia saída dos porões da ditadura nos anos 1970, quando burocratas decidiam que novelas, peças teatrais ou músicas poderiam ser veiculadas de acordo com circunstâncias políticas, religiosas ou morais. Mais esse retrocesso não é algo fortuito, ou descontextualizado. Ele se insere no espírito do tempo do bolsonarismo, em que a ascensão de uma elite que teima em bater no peito para se dizer conservadora, quando é apenas reacionária e preconceituosa, permite a pessoas como o desembargador Benedicto Abicair, que já trazia esses fantasmas em sua alma antes da nova era, colocá-los para fora em forma de decisão judicial, uma vez que agora há “mercado” para isso. É a tal “normalização” de uma série de condutas que a polidez civilizacional mantinha enrustidas até pouco tempo. Eu odeio esta palavra e acho que ela