Conheça as iniciativas do TSE para enfrentar o fenômeno da desinformação

Durante o ano de 2019 e já de olhos nas eleições municipais de 2020 o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) promoveu iniciativas com o objetivo de enfrentar a desinformação disseminada acerca do processo eleitoral e da Justiça Eleitoral e que teve seu ápice nas eleições de 2018.


Para o juiz auxiliar da Presidência da Corte, Ricardo Fioreze, coordenador do grupo gestor do Programa de Enfrentamento à Desinformação com Foco nas Eleições 2020, a atuação preventiva capacita a Justiça Eleitoral para conter a desinformação de forma mais efetiva. Ele defende o trabalho em parceria para que se possa executar ações conjuntas e tentar minimizar os efeitos do fenômenoda desinformação, que alcança várias camadas e setores da sociedade.

“A atuação preventiva também garante maior tempo para a execução de ações voltadas a conscientizar a população, em especial, os eleitores, sobre a desinformação e seu significado, bem como sobre os riscos e os prejuízos que ela pode causar tanto para o cidadão como para a democracia. A ideia é mostrar os cuidados e os recursos de que o cidadão pode se valer para não ser enganado por práticas de desinformação”, completa o juiz. 

Seminário

Em maio de 2019 o TSE realizou o Seminário Internacional Eleições e Fake News, com o apoio da União Europeia, que reuniu alguns dos maiores especialistas no tema para debater estratégias de combate à proliferação de notícias falsas no processo eleitoral.

O evento contou com a participação de dirigentes do Facebook, do Google, do Twitter e do WhatsApp e de especialistas do FBI (Departamento Federal de Investigação dos EUA), da Polícia Federal, da Organização dos Estados Americanos (OEA) e do Poder Judiciário, além de representantes da imprensa, de universidades e de institutos de checagem nacionais e internacionais, entre outros convidados.

Enfrentamento à desinformação

No segundo semestre de 2019, a Corte lançou o Programa de Enfrentamento à Desinformação com Foco nas Eleições 2020, que conta hoje com 47 instituições parceiras, entre partidos políticos e entidades públicas e privadas. A iniciativa tem a finalidade de enfrentar os efeitos negativos provocados pela desinformação à imagem e à credibilidade da Justiça Eleitoral, à realização das eleições e aos atores envolvidos no pleito.

Na ocasião do lançamento do programa, a presidente do TSE, ministra Rosa Weber, anunciou a veiculação de uma página na internet que reúne dados sobre a desinformação e, também, de um livro que é fruto dos debates ocorridos no Seminário Internacional. A obra está disponível no Portal do Tribunal na internet.

Para 2020, serão priorizadas ações de educação midiática e informacional, com a finalidade de conscientizar os cidadãos acerca da desinformação, bem como de informar os eleitores sobre pontos importantes do processo eleitoral.

Fato ou Boato?

Em outubro de 2019, o TSE lançou a página “Fato ou Boato?”, que reúne conteúdos produzidos para rebater as informações falsas sobre a Justiça Eleitoral.

O site é uma evolução da ferramenta disponibilizada em 2018, dentro do rol de ações da campanha de esclarecimento ao eleitor daquele ano, intitulada “TSE contra Fake News”. A campanha rendeu à Corte a indicação como finalista da 16ª edição do Prêmio Innovare, na categoria “Tribunal”.

novo espaço foi dividido em oito áreas: Passo a Passo, Esclarecimentos, Quiz, Mitos Eleitorais, Agências, Posts, Candidatos e Fake News e conta também com materiais produzidos pelas instituições parceiras que aderiram ao Programa de Enfrentamento à Desinformação com Foco nas Eleições 2020.

Para visitar o site, basta digitar o endereço www.justicaeleitoral.jus.br/fato-ou-boato ou acessar o Portal do TSE, no centro da página, e clicar no banner“Fato ou Boato?”.

Mais ações

O Núcleo de Rádio e TV do TSE também produziu diversos vídeos e spots de rádio sobre o tema e veiculou ainda, no canal da Justiça Eleitoral no YouTube, uma série de vídeos com depoimentos de especialistas nacionais e internacionais que participaram do Seminário Internacional Fake News e Eleições. 

Além disso, o Núcleo produziu a série Minuto da Checagem, com o objetivo de mostrar ao eleitor a importância de checar as informações antes de compartilhá-las. Com duração de aproximadamente um minuto, os vídeos são veiculados uma vez por mês no canal da Justiça Eleitoral, no YouTube e também no intervalo da programação da TV Justiça e das demais 500 emissoras parceiras do TSE. 

Diversos posts e campanhas para esclarecer o cidadão também foram produzidos pelo Núcleo de Gestão Web do TSE. 


Outra ação que merece destaque é a campanha “Turma da Democracia”. Em várias animações de 30 segundos, personagens divertidos e parcialmente humanizados estimulam a conscientização dos cidadãos a respeito da democracia e do papel de cada um em uma sociedade. Suas mensagens também despertam a atenção do público para os inimigos da democracia, como a desinformação.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“Educar ya no significa transmitir y memorizar información”