Bibliografia de cinema e educação

Marialva Monteiro, fundadora do Cineduc, preparou uma seleção de livros fundamentais para quem quer saber mais sobre cinema e educação. Reproduzimos aqui suas sugestões e comentários e sugerimos o blog Cineduc para quem estuda a relação cinema e educação!

Dos Meios às Mediações – Barbero, Jesus-Martin – Editora UFRJ, Rio de Janeiro, 1997 Comentário: Conheci os textos do Barbero nas entrevistas que deu na revista da FASE. Finalmente chegou seu livro ao Brasil. Ele é fundamental porque fala das mediações, e do receptor latino-americano. Não trata só de comunicação, mas de antropologia, sociologia, política e sociologia.

Infância, Cinema e Sociedade – Amorim Garcia, Claudia e outros (Coleção Escola de Professores) - Ravil, Rio de Janeiro, 1997
Comentário: é um livro interessante porque reúne professores e cineastas. Traz o resumo de um ciclo de debates sobre alguns filmes e questões da infância e adolescência.

A Imagem – Aumont, Jacques – Ed. Papirus, Campinas, S. Paulo, 1993
Comentário: o livro trata de questões bastante importantes, como a relação do espectador com a imagem, como a imagem representa o mundo real, etc.

Linguagem Total, uma pedagogia dos meios de comunicação – Gutierrez, Francisco – Summus Editorial, São Paulo, 1978
Comentário: este é um livro mais antigo, porém fundamental, pois foi Gutierrez quem primeiro entendeu que os métodos tradicionais de ensino não atendiam às formas massificantes e atraentes oferecidas pelos meios de comunicação.

Os Exercícios do Ver – Barbero, Jesus-Martin e Rey, German – Editora SENAC, São Paulo, 2001 Comentário: Trata da questão audiovisual em relação à televisão. É a análise de um fenômeno social e cultural importante no Brasil feita por dois grandes teóricos da comunicação na América Latina.

Sintaxe da Linguagem Visual – Dondis, Doris A. – Ed. Martins Fontes – 1999
Comentário: o livro fala que assim como a imprensa trouxe a necessidade de alfabetização, os meios de reprodução visual trazem a necessidade de uma alfabetização visual.

Pré cinema e Pós Cinemas Hereges – Machado, Arlindo – Papirus Editora, 1997
Comentário: as origens do cinema e do desejo de registrar o movimento.

Sobre Educação (Diálogos) - vol. 2 – Freire, Paulo e Guimarães, Sérgio –Ed. Paz e Terra, Rio de Janeiro, 1984
Comentário: é um livro gostoso de ler porque usa a forma de diálogo. Paulo Freire e Sergio Guimarães discutem assuntos importantes da educação, inclusive o uso dos meios de comunicação na sala de aula.

Modos de Ver – Berger, John –Livraria Martins Fontes, Ed. Ltda. São Paulo, 1987
Comentário: gosto muito deste livro. Frase do livro que sempre repito: “A vista chega antes das palavras. A criança olha e vê antes de falar”. Não é só cinema, é sobre a percepção visual em geral.

Novas Tecnologias e Educação – Kawamura, Lili - Novas Tecnologias e Educação – Ed. Ática, São Paulo, 1990
Comentário: é um livro pequeno (79 páginas), mas resume algumas políticas governamentais de educação diante da industria cultural que na realidade não funcionam.

Imagem – Cognição, Semiótica, Mídia – Santaella, Lucia e Winfried, Nöth - Ed. Iluminuras, São Paulo, 1997
Comentário: é um livro mais difícil. Mas vale para aprofundar algumas questões.

A Imagem no Ensino da Arte – Barbosa, Ana Mãe – Ed. Perspectiva – São Paulo, 1994
Comentário: é sempre bom ler o que a Ana Mae escreve. Ela não trata do cinema, mas da arte em geral. Sua metodologia triangular para leitura da obra de arte deve ser conhecida por todos os professores.

Televisão e Educação – Ferrés, Joan – Ed. Artes Médicas, Porto Alegre, 1996
Vídeo e Educação – Ferrés, Joan – Ed. Artes Médicas, Porto Alegre, 1996
Comentário: dois livros fundamentais. Ferrés escreve de maneira simples e levanta questões válidas. Sugere atividades práticas para quem trabalha com vídeo e televisão na sala de aula.

Como ver Televisão – Moran, José Manuel –Ed Paulinas, 1991
Comentário: não é um livro teórico. Traz alguns exercícios práticos que podem ajudar o professor que trabalha com os meios de comunicação.

Cinema e Educação vol 1 e 2 – Azzi, Riolando –Ed Paulinas, 1996
Comentário: é uma orientação para o uso de alguns filmes já disponíveis em vídeo. Tem de tudo: desde filmes bem comerciais como Alien, o oitavo passageiro até filmes mais “cabeça” como Lanternas Vermelhas. Parece que já saiu o 3º volume.

Tela Total, Mito – Ironias da Era do Virtual e da Imagem – Baudrillard, Jean - Ed. Sulina, Porto Alegre, 1997
Comentário: coletânea de textos publicados pelo autor em jornal sobre questões importantes ligadas ao mundo moderno e à comunicação de massa.

Cinema & Educação – Duarte, Rosália –Ed. Autêntica, Belo Horizonte, 2002.
Comentário: O livro é voltado para quem trabalha com educação audiovisual. Trata da questão do espectador como sujeito, sua leitura etc. Dá dicas para o uso do filme na sala de aula.

A Era da Comunicação – Babin, Pierre - Ed. Paulinas, São Paulo, 1989
Comentário: Pierre Babin é um padre que há muito tempo mantém cursos para quem se preocupa com os meios de comunicação e valores humanos.

Máquina e Imaginário – Machado, Arlindo – Ed. da Universidade de São Paulo (Edusp), São Paulo, 1996
Arlindo Machado fala de produção de arte e novas tecnologias. Isto significa uma decadência da arte? Para ele, não. E explica: o problema é a questão da liberdade na sociedade informatizada.


O Quarto Iconoclasmo e Outros Ensaios Hereges – Machado, Arlindo – Ed. Rios Ambiciosos/Contra Capa, Rio de Janeiro, 2001
Comentário: o livro levanta a questão de que de tempos em tempos retorna o surto do horror às imagens. Continuamos sempre com o privilégio da palavra. Pensar as imagens como um objeto complexo e pouco conhecido e estudado.

A Escola vai ao Cinema – Castro Teixeira, Inês Assunção e Miguel Lopes, José de Souza (org.) –Ed. Autêntica – Belo Horizonte, 2003
Comentário: São vários autores, cada um tecendo comentários sobre um filme. Alguns filmes discutidos: Bicho de sete cabeças (Brasil), O Jarro (Irã), Filhos do Paraíso (Irã), Central do Brasil (Brasil), Nenhum a menos (China), O Carteiro e o poeta (Itália), Adeus meninos (França) etc.

Como usar o Cinema na Sala de Aula – Napolitano, Marcos – Editora Contexto – São Paulo, 2003
Comentário: Coloca o cinema como um aprendizado, porém pouco toca nas questões específicas da linguagem cinematográfica. No entanto o livro vale pela quantidade de filmes citados e as informações que fornece sobre cada filme.

A Prática do Cinema na Favela: para uma compreensão maior da realidade - Monteiro, Marialva – em Comunicação e Classes subalternas - Cortez Editora, São Paulo, 1980
Comentário: relato de uma experiência realizada pela equipe da instituição CINEDUC – Cinema e Educação numa favela do Rio de Janeiro, utilizando a linguagem cinematográfica.

Filme e Subjetividade – Luz, Rogério – Ed. Contracapa – Rio de janeiro, 2002.
Comentário: a experiência estética e a questão do sujeito no mundo moderno. A imagem e o seu papel na constituição do sujeito. A arte como escrita.

Literatura, Cinema e Televisão – Pellegrini, Tânia e outros – Editora SENAC e Itaú Cultural, São Paulo, 2003

Literatura e Cinema – Johnson, Randal – T. A. Queiroz, Editor, São Paulo, 1982
Comentário: livro fundamental para o estudo da adaptação cinematográfica e as relações entre cinema e literatura. O estudo é preferentemente sobre o filme Macunaíma de Joaquim Pedro de Andrade e o livro de Mario de Andrade.

Linguagem Audiovisual e Educação: um (de)bate papo plausível - Monteiro, José Renato e Paula, Vera de – Revista Cinemais nº 19 - set/out de 1999
Comentário: em forma de diálogo a Educação e o Audiovisual conversam questões importantes relacionadas ao ensino e a formação do espectador.

Introdução à Teoria do Cinema – Stam, Robert – Papirus Editora, Campinas, S. Paulo, 2003
Comentário: oferece uma abrangente teoria do cinema no século XX. Também contextualiza a teoria do cinema no universo das grandes correntes histórico-filosóficas.

Obras Escolhidas: Magia e Técnica, Arte e Política – Benjamim, Walter –Editora Brasiliense, S. Paulo, 1985
Comentário: Ler preferentemente os capítulos: A Obra de Arte na Era da Reprodutibilidade Técnica e Pequena História da Fotografia - O primeiro é um dos capítulos mais citados por inúmeros autores e mais utilizado nos cursos de cinema e comunicação. Benjamim via a reprodução das obras de arte através das cópias como um processo de democratização, benéfico ao conhecimento.

A Máquina de Visão – Virilio, Paul – Ed. José Olympio, Rio de Janeiro, 1994
Comentário: a “máquina de visão” é o nosso olho ou a câmera? É disto que trata o livro. Paul Virilio é muito citado pelos teóricos de nossa era da informática.

A Imagem – Movimento – Deleuze, Gilles – Editora Brasiliense, S. Paulo, 1990.
A Imagem – Tempo – Deleuze, Gilles – Editora Brasiliense, S. Paulo, 1990Comentário: livros fundamentais para o entendimento dos conceitos de espaço e tempo no cinema. Todas as suas idéias são ilustradas com exemplos concretos citados de filmes.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Revista Escribanía com chamada aberta para artigos sobre comunicação

“Educar ya no significa transmitir y memorizar información”